PARÓQUIA SAGRADO CORAÇÃO DE JESUS

Um pouco de história

Nossos párocos

Carousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel image

Quando teve início o loteamento do bairro do Brooklin, no trecho entre a Estrada Velha de Santo Amaro e o Rio Pinheiros, Julio Klaunig, seu proprietário, ofereceu à população local um terreno em forma de triângulo, para que nele se construísse uma escola ou um posto policial. Imediatamente, atendendo a inúmeros pedidos e sugestões do povo, Álvaro Rodrigues, que era nosso vereador junto à Câmara Municipal de Santo Amaro, resolveu que o terreno seria destinado à edificação da primeira igreja, para a alegria e gratidão de todos os moradores.

Foi assim que nasceu a modesta Capela, primeiro marco da Paróquia Sagrado Coração de Jesus. A Capela, muito pequena, continha em cada grão de areia, tijolo ou telha, o amor e carinho das pessoas simples que residiam no bairro.

Com o projeto doado, a Capela começou a ser construída, com o trabalho, quermesses, rifas e tudo o mais que a alegria e a fé sugeriam aos paroquianos.

Finalmente, em 27 de maio de 1927, foi solenemente inaugurada, tendo como primeiro vigário padre Geraldo de Proença Sigaud (SVD), que fazia a pé uma longa caminhada para a celebração da missa dominical.

O bairro crescia, os jovens se casavam, muita criança nascia e a Capela já não bastava às suas necessidades. Queriam algo maior, independente; queriam mesmo uma paróquia, com todos os privilégios. Assim, em 28 de junho de 1935, o então Arcebispo de São Paulo, D. Duarte Leopoldo e Silva elevou a pequena Capela à categoria de Paróquia e designou para seu primeiro Vigário, o Pe. Alberto Staub (SVD), que tomou posse em 20/10/35, exercendo o cargo até 18 de setembro de 1937.

Assim, passaram-se vários anos, durante os quais a Paróquia teve quatro vigários, todos da Congregação do Verbo Divino, e em 1948, inesperadamente, passou a ser dirigida pelos padres do Pontifício Instituto das Missões Estrangeiras (PIME), cuja sede era na Itália. O primeiro padre foi Luiz Gargioni que logo em seguida recebia a companhia de outro que era muito brincalhão, o Padre Carlos Acquiani que juntos conquistaram a simpatia dos jovens e das crianças, cada vez em maior número, com a organização de brincadeiras e jogos de futebol num campo improvisado, num terreno vazio ao lado da casa Paroquial.

Com o tempo os padres fundaram o Colégio Meninópolis em um galpão de madeira composto de algumas salas, cedido pela Prefeitura que, depois, foi construído em alvenaria, como nós o conhecemos.

O bairro se desenvolvia rapidamente e o aumento da população motivou uma campanha para a construção da nova Matriz, cujo lançamento da pedra fundamental se deu em 31/10/54, por ocasião da festa de Cristo Rei, dando por iniciada a campanha para a construção.

No dia 25 de março de 1956, após intensa campanha e ainda faltando alguns retoques, D. Paulo Rolim Loureiro benzeu solenemente a nova igreja e a liberou para o culto dos fiéis. Sucederam-se então, uma série de inaugurações: do altar de São José, altar de Nossa Senhora de Fátima, inauguração dos vitrais, do piso, dos bancos e iluminação, da imagem do Sagrado Coração e Altar-Mor. Finalmente em 15 de junho de 1958, Dom Paulo Rolim Loureiro inaugura em meio a grandes festividades, a igreja, que só estaria completamente acabada em 1959.

Em 1989, com a criação da Diocese de Santo Amaro, nossa paróquia passou a fazer parte da mesma.